Tag

Copa do Brasil Feminina

A bola volta a rolar hoje (21) para as quartas de final da Copa do Brasil de futebol feminino. Ao contrário do que se viu nas duas primeiras fases –que tiveram goleadas homéricas de até 21 a 0, no placar agregado–, a expectativa é de jogos mais equilibrados. Tudo bem que futebol não é ciência exata e em campo tudo pode acontecer, mas, o nível técnico foi afunilado e devemos ter partidas mais disputadas.

Veja os confrontos:

Fonte: Site da CBF
Fonte: Site da CBF

O Flamengo-RJ, atual campeão brasileiro, não deve ter vida fácil contra o Audax-SP, que eliminou o Santos-SP na segunda fase com um placar agregado de 5 a 2. São José-SP –campeão mundial em 2014– e JV Lideral-MA também formam um confronto interessante. Ambos aplicaram grandes goleadas em seus adversários para chegar às quartas de final (13 a 0 Atlético-AC e 9 x 0 Caucaia-CE, respectivamente, no placar agregado).

O clube campeão da Copa do Brasil de futebol feminino garante vaga na Libertadores de 2017. A tabela completa do torneio pode ser acessada aqui. Infelizmente, é o único meio de acompanhar os resultados oficiais, já que nenhuma emissora se interessou em transmitir o torneio, apesar de SporTV, TV Brasil e EnterPlay possuírem os direitos.

Quarta-feira, 24 de agosto de 2016. Exatos 44.266 torcedores compareceram aos quatro jogos da rodada inicial das oitavas de final da Copa do Brasil Masculina de Futebol. E olha que a média de público foi bastante baixa. Fora os milhares que acompanharam atentos pela televisão. No mesmo dia, 13 jogos marcavam o primeiro dia da 10ª edição da Copa do Brasil Feminina de Futebol, segunda competição mais importante e a mais antiga do calendário nacional. Mas, quem se importa?

Não se passou nem uma semana do fim dos Jogos Rio 2016, quando a modalidade arrastou multidões aos estádios e atraiu os holofotes da imprensa, e o futebol feminino já está novamente jogado às traças. Nenhuma emissora se interessou por transmitir a Copa do Brasil, apesar de SporTV, TV Brasil e EnterPlay possuírem os direitos. Consequentemente, ninguém vai assistir.

O torneio é um dos poucos berços existentes para o nascimento de jogadoras. Na competição, já brilharam nomes como Cristiane, Maurine, Érika, Debinha, Andressinha, Bárbara, a guerreira formiga e a rainha Marta, todas jogadoras de seleção. A base do futebol feminino brasileiro precisa de visibilidade, que atrai olhares e, consequentemente, investimentos.

Nesta edição, a competição conta com 32 equipes, entre elas, o São José, campeão mundial em 2014, o Flamengo, atual vencedor do Campeonato Brasileiro Feminino, e a Ferroviária, campeã da Libertadores do ano passado. A ausência mais sentida é do Kindermann, que conquistou o título da Copa do Brasil em 2015, mas teve o time dizimado depois do trágico assassinato do técnico, em dezembro.

A Copa do Brasil Feminina é dividida em cinco fases, no sistema de mata-mata. O clube campeão garante vaga na competição continental de 2017. A tabela completa do torneio pode ser acessada aqui. Mas, quem se importa? O ‘país do futebol’ deveria se importar!