Tag

Canoagem

Expectativa confirmada! A canoagem brasileira trouxe para casa duas medalhas da 2ª etapa da Copa do Mundo de Canoagem Velocidade, que aconteceu na Hungria, no último fim de semana. O medalhista olímpico Isaquias Queiroz não decepcionou e ficou com a prata na prova C1 1000m, com 3min46s24, atrás do tcheco Martin Fuska, 3min45s642. O bronze ficou com polonês Tomasz kaczor, que fechou a prova com 4min15s800.

A grata surpresa mesmo veio da canoagem feminina. As atletas Andrea Oliveira e Angela Aparecida foram as mais rápidas –e com folga!– na prova de C2 200m. A dupla realizou o percurso com o excelente tempo de 4min4s061 e ficou com o ouro. As atletas canadenses Nadya Crossman-Serb e Anne-Sophie Lavoie-parente fizeram 4min4s946, em segundo lugar. Para completar o pódio, as atletas da Rússia Daria Kharchenko e Aliia Almakaeva fizeram 4min5s099 e ficaram com o bronze.

O resultado das brasileiras é bastante animador. A canoa feminina foi confirmada no calendário dos Jogos Olímpicos de Tokio 2020. Então, começar o primeiro ciclo olímpico da categoria com vitória mostra que a modalidade pode ajudar a engordar o quadro de medalhas do Brasil nos próximos Jogos.

Estamos muito felizes com os resultados obtidos, conseguimos ir para duas finais A e ainda conquistamos o ouro, numa prova em que o nível estava muito alto”, comentou Angela Aparecida.

Por falar em finais A –aquelas que valem medalha–, o resultado foi satisfatório. Foram quatro: as duas que geraram medalhas; a prova de C1 200m feminino, com Andrea Oliveira, que ficou com a quarta posição; e o C2 500m, também com Andrea Oliveira, em parceria com Angela Aparecida, que ficaram com a oitava colocação.

A 2ª etapa da Copa do Mundo de Canoagem Velocidade foi um teste e tanto para os brasileiros, pois contou com os principais nomes da modalidade no mundo. O resultado mostrou que Isaquias Queiroz, Angela Aparecida e Andrea Oliveira estão entre eles. As atenções agora se voltam para o Campeonato Mundial, marcado para agosto.

A canoagem brasileira está em alta. Não por acaso, as expectativas são grandes quando atletas como Isaquias Queiroz e Erlon de Souza caem na água. Por isso, é bom ficar de olho na segunda etapa da Copa do Mundo de Canoagem Velocidade, que começa nesta quinta-feira (25), em Szeged, na Hungria.

A equipe brasileira terá ótimos testes pela frente para comprovar o processo de evolução pelo qual vem passando há um tempo, já que a etapa terá a presença dos principais nomes do cenário mundial da modalidade e promete disputas acirradas. As provas serão de 1000, 500 e 200 metros.

“Vamos buscar melhores resultados, e o maior número possível de finais A, vamos mostrar o quanto estamos evoluindo”, explica o técnico Rui Fernandes. A competição também vai servir para o início de uma adaptação ao clima da cidade, que vai receber o Campeonato Mundial em 2019, pré-olímpico para os Jogos de Tóquio em 2020.

A delegação brasileira é formada pelos atletas Isaquias Queiroz, Erlon de Souza e Maico dos Santos, da Canoa; Edson Silva, Roberto Maehler e Vagner Souta, do Caiaque; além de Valdenice Conceição, Andrea de Oliveira e Angela da Silva, da Canoa Feminina, que passou a fazer parte do quadro de provas olímpicas.

“Será nossa primeira Copa do Mundo após a Canoa Feminina ser confirmada no calendário dos próximos Jogos Olímpicos. Acredito que a disputa será muito grande, todas querendo mostrar seu trabalho e já de olho nas Olimpíadas, vamos para cima das adversárias mostrar nosso potencial”, disse Angela da Silva.

A equipe brasileira está embalada pelo excelente resultado no Campeonato Sul-Americano, quando confirmou a hegemonia no continente ao conquistar o título por equipes, com 54 medalhas. Além disso, a memória das medalhas conquistadas nos Jogos Olímpicos Rio 2016 ainda está fresca… Especialmente para Isaquias, que ganhou um bronze e duas pratas, uma delas com o companheiro Erlon.

As disputas da segunda etapa da Copa do Mundo de Canoagem Velocidade vão até dia 28. Você pode ver aqui a programação completa da competição.

Nem só de Rio 2016 viveu o calendário esportivo desse ano! Ele foi cheio. É verdade que apenas as Olimpíadas do Rio já teriam sido suficientes para mobilizar a atenção dos aficionados por esporte por um ano inteiro. Mas, teve mais, muito mais!

Depois dos Jogos, o Brasil conquistou muitos resultados importantes e engatou a marcha forte rumo à Tokyo 2020. Veja dez marcas que o Time Brasil alcançou no segundo semestre:

1. Atletismo

Foto: Wander Roberto/Exemplus/COB
Foto: Wander Roberto/Exemplus/COB

Thiago Braz, que protagonizou um dos momentos mais legais dos Jogos Olímpicos Rio 2016, encerra o ano como o número 1 do Ranking Mundial de Atletismo no salto com vara. A marca obtida para a medalha de ouro (6,03m) deu a Thiago o recorde olímpico e o sexto melhor resultado de todos os tempos, o que resultou na liderança do ranking.

 

2. Futebol Feminino
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

A medalha no Rio não veio, mas, a seleção feminina de futebol mostrou que não se deixou abater e começou bem o processo de reestruturação. Sob o comando de Emily Lima –primeira mulher a comandar a seleção na história–, a equipe foi hepta campeã do torneio de Manaus, que reuniu também as seleções da Itália (vice), Rússia e Costa Rica.

O título marcou, ainda, o adeus de Formiga, depois de 21 anos defendendo a seleção, com participação em seis Copas do Mundo e seis Jogos Olímpicos. A história recente do futebol feminino no Brasil passa pelos pés dela!

 

3. Natação
Foto: Giovana Moreira/CBDA

Etiene Medeiros desbancou ninguém mais, ninguém menos que a campeã olímpica Katinka Hosszu, da Hungria, para conquistar o bicampeonato dos 50m costa no Campeonato Mundial em Piscina Curta. A disputa aconteceu em Windsor, no Canadá. Outros dois excelentes resultados para a natação foram a prata no revezamento 4x50m medley misto e o bronze de Felipe Lima nos 50m peito.

 

4. Tênis
Foto: Divulgação/US Open

Foto: Divulgação/US Open

O mineiro Bruno Soares é o primeiro brasileiro a encerrar uma temporada integrando a dupla número 1 do mundo. Ao lado do britânico Jamie Murray, Soares foi campeão do Aberto dos Estados Unidos, em Nova York, depois de vencer espanhóis Pablo Carreño Busta e Guillermo Garcia-Lopez.

O título em Nova York é o quinto de Grand Slam na carreira de Bruno Soares, que já havia vencido as duplas mistas do US Open em 2012, com a russa Ekaterina Makarova, e 2014, com a indiana Sania Mirza. Ele também conquistou em 2016 os títulos do Aberto da Austrália nas duplas masculinas, com Jamie Murray, e nas mistas, com a russa Elena Vesnina.

 

5. Judô
Foto: Divulgação/IJF
Foto: Divulgação/IJF

A participação brasileira no Grand Slam de Abu Dhabi foi notável. Foram 13 medalhas: quatro pratas, oito bronzes e o ouro de Maria Suelen Altheman (+78Kg). Para chegar ao lugar mais alto do pódio, Maria Suelen venceu Kubra Kara, da Turquia, Maria Slutskaya, da Bielorrússia, e Carolin Weiss, da Alemanha, imobilizadapor 20 segundos, o que configura ippon.

 

6. Vôlei de Praia
Foto: Inovafoto/CBV

Bruno Schmidt fechou 2016 como o esportista do ano, eleito pela Federação Internacional de Voleibol (Five, em inglês). Campeão olímpico ao lado de Alisson, Bruno foi eleito, ainda, o melhor defensor e o jogador mais completo do Circuito Mundial de Vôlei de Praia.

Alison venceu o prêmio de melhor ataque da temporada. Também foram premiadas as brasileiras Duda (melhor novata), Larissa (melhor levantamento e melhor jogadora ofensiva), Guto (melhor novato) e Evandro (melhor saque).

 

7. Maratona Aquática
Foto: Alaor Filho/COB

Foto: Alaor Filho/COB

Bronze nos Jogos Olímpicos Rio 2016, Poliana Okimoto conquistou o vice-campeonato da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas. A prata veio com o terceiro lugar alcançado na última etapa da competição, em Hong Kong. A vencedora da etapa e da Copa do Mundo foi a italiana Rachele Bruni, medalha de prata nos Jogos Olímpicos Rio 2016, com 86 pontos. Poliana Okimoto terminou a competição com 74 pontos e a alemã Ângela Maurer ficou em terceiro com 61.

 

8. Tênis de Mesa
Foto: Saulo Cruz/Exemplus/COB
Foto: Saulo Cruz/Exemplus/COB

O tênis de mesa do Brasil tem uma dupla no top cinco mundial. Hugo Calderano e Gustavo Tsuboi conquistaram a quinta colocação do ranking mundial da Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF). No fim de novembro, Calderano e Tsuboi conquistaram a medalha de ouro na disputa de duplas do Aberto da Suécia – Etapa Major do Circuito Mundial (segundo mais importante), feito inédito para o tênis de mesa brasileiro.

 

9. Canoagem
Foto: Divulgação/COB
Foto: Divulgação/COB

A jovem Ana Sátila, de 20 anos, conseguiu um resultado inédito para a canoagem slalom do país na quarta etapa da Copa do Mundo da modalidade, disputada em Praga, República Tcheca. Com o tempo de 110s75, Ana conquistou a prata no K1, ficando atrás apenas da alemã Ricarda Funk, que completou a prova em 108s59. Além disso, o Brasil avançou às semifinais em todas as provas que participou na competição.

 

10. Pentatlo
Foto: Divulgação/COB
Foto: Divulgação/COB

Yane Marques conquistou duas medalhas no Campeonato Mundial Militar de Pentatlo Moderno, disputado em Warendorf, Alemanha. Yane levou o bronze na prova individual, que reuniu 34 competidoras de 13 países, e no evento por equipes, ao lado de Larissa Lellys e Priscila Oliveira.

Uma das grandes atrações do Time Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016 e dono de três medalhas na competição, Isaquias Queiroz cai na água novamente a partir desta quinta-feira (22). A agenda agora é o Campeonato Brasileiro de Canoagem Velocidade e Paracanoagem 2016, principal evento do calendário nacional e base para a classificação em competições internacionais e para a formação das Equipes Permanentes.

Ao todo, 357 atletas de 37 associações e clubes de todo o Brasil estão reunidos em Curitiba (PR) para a disputa até domingo (25). Entre eles, Erlon de Souza, medalha de prata na canoa dupla 1000m, ao lado de Isaquias Queiroz, e Caio Ribeiro, ouro na categoria KL3 das Paralimpíadas. Os já consagrados atletas dividem espaço com novas promessas. O Campeonato Brasileiro também tem disputas nas classes infantil, menor, cadete, júnior, sênior, master e open.

Brasil afora

A histórica participação da canoagem brasileira nas Olimpíadas e Paralimpíadas do Rio representam o início de um novo tempo para a modalidade. Para os próximos ciclos, o objetivo principal da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) é universalizar a prática do esporte em todo o território brasileiro e, consequentemente, revelar mais atletas para a formação no alto rendimento.

A visibilidade, que funciona como o catalisador para o sucesso, a Canoagem já está começando a ter. Tanto que o SporTV vai transmitir as provas finais dos 200m do Campeonato Brasileiro no domingo, a partir de 12h. Os resultados completos podem ser acompanhados em uma plataforma online da CBCa.

Programa Provisório

22 de setembro – Provas de 1000m

23 de setembro – Provas de 1000m e 500m

24 de setembro – Provas de 500m e 200m

25 de setembro – Provas de 200m